25 de março de 2011

Características- sagres

  • Propulsão à Vela

  • Propulsão Mecânica

  • Produção de energia eléctrica

  • Aguada

  • Equipamentos de navegação e comunicações

  • Cozinha

  • Instalação frigorífica

  • Outros equipamentos

     


8 de março de 2011

Rms lusitânia


In memory of the Titanic 1912


Death of the Britannic

Este video é um resumo do que seu passou na viagem em que o HMHS Britannic 1916 afundou ....

ALBERTIC

Construção: 1923
Toneladas: 18.940
Construído pela North German Lloyd Line e originalmente chamado de Munique. Comprado pela Royal Mail Line, em 1923, recebeu o nome de Ohio. Foi adquirido como reparação de um navio de guerra, durante a Primeira Guerra Mundial. Renomeado de Albertic, quando comprado pela White Star Line, em 1927, para fazer a rota Liverpool-Canada. Em 1934, foi desmantelado no Japão

PITTSBURGH


Construção: 1922
Toneladas: 16.322
Foi originalmente construído exclusivamente para a American Line de Liverpool, pela Harland & Wolff, em Belfast, em 1913. Sua construção foi interrompida com a eclosão da Primeira Guerra Mundial e somente em 1922 é que o navio ficou concluído para o serviço de transporte de passageiros. Nesta época, a American Line foi comprada pela Red Star Line, que por sua vez, era agora uma parte da IMM. Como a IMM era proprietária da Red Star Line, bem como da White Star Line, foi decidido a transferência do navio Pittsburgh para a White Star, no momento de seu lançamento. Fez sua viagem inaugural de Liverpool para Boston em 6 de junho de 1922. A rota regular do navio Pittsburgh foi de Boston a partir de Hamburg e Bremen. Em novembro de 1922, foi responsável pelo salvamento da tripulação do navio de carga italiano Monte Grappa que naufragou na ocasião. Em janeiro de 1925, o Pittsburgh foi transferido para a Red Star Line e funcionou na rota Antwerp-Southampton-New York. Em fevereiro de 1926, foi renomeado Pennland. Em 1935, foi vendido para Arnold Bernstein de Hamburgo. Em 1940, foi convertido como navio de transporte de tropas e, em 1941, foi bombardeado e afundado durante um ataque aéreo alemão no Golfo de Saronic perto de Atenas.

DORIC

Construção: 1922
Toneladas: 16.484
Segundo navio da companhia a ter o mesmo nome (Doric 1883) sem o seqüencial 2. Construído pela Harland & Wolff para a White Star Line em 1922. Sua viagem inaugural foi em 8 de junho de 1923, com a rota Liverpool-Montreal. No início de 1933, foi usado para cruzeiros exclusivamente baseados fora de Liverpool. Após a fusão da Cunard Line com a White Star Line seu futuro a longo prazo foi incerto até 5 de setembro de 1935, quando colidiu com o SS Formigny, da French Chargeurs Reunis Line, nas proximidades de Cape Finisterre, Espanha. Após os reparos temporários, Doric retornou à Inglaterra, onde foi vistoriado e concluído que era uma perda total em termos de preço para a reparação. Em novembro de 1935, foi desmantelado em Portugal.

Britannic1930


 Construção: 1930
Toneladas: 26.943
Terceiro navio da companhia a ter o mesmo nome (Britannic 1874, Britannic 1915) sem o seqüencial 3. Fez sua viagem inaugural com a rota Liverpool-Belfast-Glasgow-New York, em 28 de junho de 1930. Tornou-se parte da Cunard-White Star em 1934, mas continuou a exercer as cores da White Star e a carregar a flâmula da companhia até 1950. Junto com Georgic, foi transferido para a rota Londres-New York em 1935, e permaneceu assim, até o começo da Segunda Guerra Mundial. Serviu como navio de tropas durante a guerra, transportando 180.000 soldados e viajando com um total de 376.000 milhas. Retomou a rota Liverpool- New York em 1948, tornando-se um navio da Cunard. O Britannic foi o único navio a ser propriedade das três empresas: da White Star Line, da Cunard-White Star Line e da Cunard Line. Sua última viagem ocorreu em 25 de novembro de 1960, foi marcado pela escolta de fireboat. Foi desmantelado em 1960 na cidade de Inverkeithing.

HAVERFORD


Construção: 1901
Toneladas: 11.635
Foi construído em 1899 por John Brown & Co., de Clydebank para a American Line. Somente em 1901 partiu para sua viagem inaugural, de Southampton para Nova York. Ao Haverford foi mais tarde atribuído várias rotas diferentes: American's Liverpool-Philadelphia, Red Star Line's Antuérpia-New York, Dominion Line's Liverpool-Halifax-Portland. Serviu como transporte de tropas durante a Primeira Guerra Mundial, e em 1917, foi atacado e torpedeado por um submarino alemão (possivelmente U-38) resultando na perda de 7 vidas. Conseguiu escapar e voltar ao porto sob seu próprio vapor, mas ficaria fora de serviço por seis meses, passando por reparos. Em 1918, foi atacado pela segunda vez por um submarino (U-boat) e novamente conseguiu escapar. Em 1920, Haverford foi comprado pela White Star Line e por razões desconhecidas, o seu nome permaneceu Haverford. Foi extremamente incomum para White Star para manter o nome original de um navio adquirido (especialmente na década de 1920 sob a IMM). Haverford foi redesenhada com as tradicionais cores da White Star Line e permaneceu com a rota Liverpool-Boston-Filadélfia durante os próximos quatro anos. No começo de 1924, Haverford teve uma série de problemas estruturais e elétricos que exigia constantes reparos. Fez sua última viagem em setembro de 1924. Foi desmantelado em 1925.

CRETIC


Construção: 1902
Toneladas: 13.507
Construído pela Harland e Wolff, para a Leyland Line com o nome de Hanoverian. Transferido para a White Star Line em 1906 e rebatizado de Cretic. Durante a Primeira Guerra Mundial, foi usado como transporte de tropas. Em 5 de abril de 1917, o Cretic transportava a 308º Infantaria Americana de Nova York para a França. No momento do embarque descobriu que o navio era o último disponível para tal viagem, sendo assim, embarcaram 2000 soldados, num navio projetado para acomodar 1500 pessoas. As tropas tiveram que dormir em turnos e foram necessários 3 sessões em cada refeição para alimentar todos a bordo. O Cretic retornou ao serviço de passageiros após a guerra e acabou por ser desmantelado em 1929.

CORINTHIC

Construção: 1902
Toneladas: 12.367
Irmão de Athenic e Ionic. Construído pela Harland e Wolff. Trabalhou no comércio na rota da Nova Zelândia e foi usado como transporte de tropas durante a Primeira Guerra Mundial. Corinthic teve uma carreira sem intercorrências e foi desmantelado em 1931, em Blyth

CEDRIC


Construção: 1902
Toneladas: 21.035
Transportou sobreviventes da tripulação do Titanic de volta ao Reino Unido. Quando o Titanic afundou em abril de 1912, o Cedric estava em Nova York e sua partida foi adiada até o Carpathia chegar com os sobreviventes, incluindo membros da tripulação que não eram necessários para o Tribunal de Inquérito e pretendiam voltar para Liverpool. Em novembro de 1914 foi requisitado para serviços durante a Primeira Guerra Mundial e foi convertido em um cruzador armado mercante para o serviço junto à 10th Cruiser Squadron. Trabalhou em conjunto com o Teutonic, na Patrulha A durante a guerra. Em 1916, foi convertido para operações de tropas inicialmente no Egito e depois para o Estados Unidos. Em abril de 1917 sua operação ficou sob o amparo da Liner Requisition Scheme. Em 29 de janeiro de 1918 durante o comboio HG 27, o Cedric colidiu com o Montreal Canadian Pacific's em Morcambe Bay. O Montreal foi rebocado, mas afundou-se no dia seguinte, 14 milhas do farol Mersey Bar. O Cedric foi devolvido ao seu proprietário, em setembro de 1919 e convertido pela Harland & Wolff. Em 1923, colidiu com o navio da Cunard, o RMS Scythia, na Irlanda. Foi desmantelado em 1932.

ATHENIC


Construção: 1902
Toneladas: 12.234
Construído com o duplo objetivo para o comércio da Nova Zelândia: carga e navio de passageiros. Serviu como transporte de tropas da Primeira Guerra Mundial. Em 1928, o navio foi vendido à empresa norueguesa Tonsberg e convertido em navio baleeiro e recebeu o nome de Pelagos. Em 1941, o navio foi capturado pelos alemães na Antártida. Os alemães converteram o em navio petroleiro para reabastecer U-Boats. Em 1942, foi atacado por um submarino britânico que o afundou. Em 1945, os noruegueses o resgataram e converteram o como navio de passageiros novamente, onde serviu até 1962, quando foi desmantelado.

REPUBLIC

 Construção: 1903
Toneladas: 15.378
Segundo navio da companhia a ter o mesmo nome (Republic 1871) sem o seqüencial 2. Um dos dois verdadeiros “navio tesouro” da White Star Line (sendo o outro Laurentic). O Republic foi originalmente construído para a Dominion Line e recebeu o nome de Columbus. Depois de apenas duas viagens foi vendido para a White Star e renomeado para Republic. Em 23 de janeiro de 1909 deixou Nova York com destino a Nápoles, Itália. Ao passar por Nantucket, uma névoa densa de repente abateu ironicamente pelo Italian liner, Florida. Foi atingido a meia nau a bombordo e a sala de máquinas começou a inundar imediatamente. Equipado com uma primeira versão da rádio Marconi 1,5 watt sem fio, o Republic tornou-se o primeiro navio da história marítima a usar o novo pedido de socorro SOS. Um de seus navios irmãos da White Star Line, o Baltic, reconheceu o chamado e veio para ajudar, o U.S. Coast Guard Cutter que estava nos arredores também respondeu. A tripulação do U.S. Coast Guard Cutter embarcou no Republic e tentou retardar sua inundação, com tapetes de colisão. A transferência de passageiros, uma ousadia "no mar", teve lugar e 1.600 passageiros, que foram distribuídos entre o Cutter e o Baltic. Apenas 4 vidas foram perdidas. Na manhã seguinte o Republic afundou-se tornando-se o maior navio até à data a ser perdido no mar. A White Star Line recebeu uma compensação após processar o Lloyd Italiano Line que ganhou um terno de negligência. Boatos foram espalhados de que o Republic levava a folha de pagamento de U$ 265.000 da U.S. Navy à U.S. Navy Atlantic Fleet em Gibraltar, um montante que hoje seria próximo ao valor de US$ 6 milhões. Outro rumor a respeito da carga do Republic é de que estaria transportando um carregamento secreto das recém-cunhadas American Eagle, moedas de ouro que poderia ter um valor atual entre U$ 400 milhões e U$1,6 bilhões de dólares dependendo do seu estado atual de conservação. O local do naufrágio foi descoberto em 1981. Até a presente data nada foi recuperado pelo que se sabe

Belgic


 Construção: 1903
Toneladas: 9.748
Terceiro navio da companhia a ter o mesmo nome (Belgic 1874 e Belgic 1885) sem o seqüencial 3. Ex-navio Mississippi da Atlantic Transport Line, transferido em 1911 para a Red Star Line, e renomeado Belgic. Em 1913 recebeu o nome de Samland.

Arabic



Construção: 1903
Toneladas: 15.801
Segundo navio da companhia a ter o mesmo nome (Arabic 1881) sem o seqüencial 2. Foi torpedeado e afundado em 1915 ao largo da Irlanda, ocorreu à perda de 44 vidas.

adriatic



Construção: 1907
Toneladas: 24.541
Segundo navio da companhia a ter o mesmo nome (Adriatic 1872) sem o seqüencial 2. Construído em 1907 pela Harland & Wolff, era mais um dos “Big Four" (Cedric, Celtic, Baltic, Adriatic). A nova classe fora contruída entre 1901 e 1907. Foi considerado rápido em 1907, atravessando o Atlântico em nove dias, mas seu recorde durou pouco por causa do Mauritania e Lusitania, navios da Cunard Line. Foi o primeiro a ter piscina ou como diziam na época “banho de piscina”. A tragédia golpeou Adriatic em 11 de agosto de 1922. Enquanto no mar, houve uma explosão em um de seus depósitos de carvão matando cinco e ferindo quatro tripulantes. O Adriatic passou por uma série de mudanças alterando, como por exemplo, os números das acomodações. Inúmeros problemas mecânicos ocorreram com o navio no início dos anos 30 colocando-o fora de serviço. Chegou a um ponto onde o Adriatic estava custando mais dinheiro do que estava fazendo. Quando a fusão Cunard - White Star ocorreu em 1934, foi o primeiro a ser desativado. Foi desmantelado no Japão em 1935.

Baltic


 Construção: 1904
Toneladas: 23.876
Segundo navio da companhia a ter o mesmo nome (Baltic 1871) sem o seqüencial 2. Baltic foi construído em 1904, em Belfast pela Harland and Wolff para a White Star Line. Ele era um dos "Big Four" (Cedric, Celtic, Baltic, Adriatic). Seu nome original era Pacific, mas depois foi renomeado para Baltic antes da sua primeira viagem. Fez a rota Liverpool - New York. Tinha acomodações para 425 passageiros (1ª classe), 450 passageiros (2ª classe) e 2.000 passageiros (3ª classe). O Baltic desempenhou o papel de “navio resgate” mais de uma vez no oceano. Em 1909, resgatou sobreviventes após a colisão do Republic com o Florida. Em 1914, serviu como transporte de tropas na Primeira Guerra Mundial. Em 1929, resgatou a tripulação da escuna Northern Lights perto de Newfoundland. Fez sua última viagem de transatlânticos de passageiros em 1931 e foi desmantelado no Japão em 1933.

Megantic


Construção: 1908
Toneladas: 14.878
Construído pela Harland e Wolff, em Belfast, em 1908, para a Dominion Line. Seu nome inicial era Albany, mas foi entregue à White Star Line com o nome de Megantic para a rota do Canadá. Em 1910, quando o inspetor da Scotland Yard prendeu o Dr. Hawley Harvey Crippen e sua amante Ethel Le Neve em Québec, eles foram escoltados de volta para Inglaterra a bordo do Megantic. (Ver história do Laurentic acima). Serviu como transporte de tropas na Primeira Guerra Mundial de 1914 a 1919. Em 1919, retomou a rota Liverpool-Montreal no serviço regular de passageiros. Em 1927, realizou o transporte de tropas para a China. Retornou após para a rota Londres-Halifax-New York, mas terminou os seus dias na rota Liverpool-Montreal. Vendido em 1933 para ser desmantelado no Japão.

Laurentic



Construção: 1908
Toneladas: 14.892
Originalmente construído pela Harland e Wolff com o nome de Alberta e lançado como Laurentic em 1908. Em 1910, o navio Laurentic serviu como palco de uma perseguição policial da Scotland Yard contra o Dr. Hawley Harvey Crippen, que fugiu para escapar das acusações de assassinato de sua esposa, na Inglaterra. A perseguição seguiu Dr. Crippen até ser capturado quando desembarcava do Laurentic. Laurentic foi selecionado em 1914 pelo Almirantado Britânico como um navio de transporte. Um dos dois verdadeiros “navio tesouro” da White Star Line (sendo o outro Republic). Em janeiro de 1917, chocou-se contra duas minas colocadas pelo submarino alemão, U-80 e afundou 45 minutos após a sua saída do porto, ao largo da Irlanda. O Laurentic tinha como missão entregar a carga da Nova Escócia para os governos do Canadá e Estados Unidos como pagamento de munições. Ao afundar levou para o fundo a vida de 354 pessoas e uma grande quantidade de ouro

Lapland


 Construção: 1908
Toneladas: 18.565
Transferido em 1914 da Red Star Line. Retornou a Red Star Line em 1920. Vendido em 1933 para ser desmantelado no Japão.

Arabic


Construção: 1908
Toneladas: 16.786
Terceiro navio da companhia a ter o mesmo nome (Arabic 1881 e Arabic 1903) sem o seqüencial 3. A White Star Line construiu o vapor em Bremen, Alemanha, pela AG Weser para a empresa North German Lloyd Line. Originalmente chamado de Berlin. Esteve presente durante a Primeira Guerra Mundial. Em 1921 foi renomeado para Arabic. Entre 1925-1929 executou serviços para a Red Star Line. Em 1930, retornou a White Star. Foi desmantelado em 1931, em Genoa.

Zealandic


Construção: 1911
Toneladas: 8.090
Construído pela Harland e Wolff, em Belfast, foi usada em conjunto com a Shaw Savill and Albion Line na rota Liverpool-New Zealand. Entre 1917 a 1919, serviu na Primeira Guerra Mundial, como transporte de tropas, em seguida, retornou ao serviço de passageiro. Em 1926 foi vendida para a Aberdeen Line e foi renomeado para Mamilius. Foi transferida novamente para a Shaw Savill and Albion Line e foi rebatizado com o nome Mamari. Em 1939 foi vendido para a Marinha Britânica para servir na Segunda Guerra Mundial. Foi remodelado numa versão do HMS Hermes para servir de chamariz aos inimigos. Em 1942, após um ataque aéreo alemão, ficou encalhado. 

Antes que pudesse ser reparado e liberado, foi torpedeado pelo U-106.

Homeric


Construção: 1913
Toneladas: 34.351
Homeric foi um dos três navios alemães reparados e adquiridos pela White Star nos anos de 1920. Lançado em 1913, pela Norddeutscher Lloyd's com o nome de Columbus, o navio não havia sido terminado durante a Primeira Guerra Mundial. Em 1922 recebeu o nome de Homeric. A sua viagem inaugural de Southampton para Nova York, ocorreu em 15 de fevereiro de 1922. Por causa da sua baixa velocidade (18 nós), o Homeric estava longe de um parceiro ideal para o Olympic (21 nós) e Majestic (23 nós), mas logo desenvolveu uma reputação de ser extremamente estável em mar agitado. Em 1936 foi desmantelado em Inverkeithing.

the siking of the HMHS Britannic ( 1916 )


MS Freedom of the Seas - imformações gerais

MS Freedom of the Seas
Freedom.JPG
O Freedom of the Seas deixando a costa de Cozumel, México, em sua viagem inaugural.
Informações gerais
Carreira RCI Flag.gif Royal Caribbean International
Proprietário Royal Caribbean International
Operador Royal Caribbean International
Porto de registro Civil Ensign of the Bahamas.svg Bahamas
Construção Turku, Finlândia
Lançado ao mar em 9 de novembro de 2004
Viagem inaugural 4 de junho de 2006
Status Em operação
Custo US$ 800.000.000
Características
Classe e tipo Classe Freedom
Tonelagem 154,407 tons
Comprimento 339 metros
Largura 56 metros
Maquinário 6 Motores Wartsila V12 a Diesel
Propulsão Três azipods ABB elétricos
Velocidade 21.6 nós (40 km/h - 25 mph)
Capacidade 4370 passageiros , 1360 tripulantes

MS Freedom of the Seas -Características

O navio caracteriza-se por ter três áreas de natação, um parque aquático interativo, o H2O Zone, uma piscina para adultos e a piscina principal. Características de uma área coberta de esportes com atividades como escalada em parede rochosa, a FlowRider (um gerador de ondas para se surfar), um campo de golfe de miniatura e uma quadra de basquetebol de tamanho original. Outros serviços incluem uma pista de patinação de gelo, um cassino, um Johnny Rockets, redes Wi-Fi ao longo do navio, televisões planas em todos os camarotes e conectividade com o telefone celular.

MS Freedom of the Seas

MS Freedom of the Seas (Liberdade dos Mares) é um navio cruzeiro pertencente à Royal Caribbean International que faz parte da Classe Freedom. Desde a sua completagem foi considerado o maior navio cruzeiro do mundo, maior do que o Queen Mary 2 nos quesitos tonelagem e largura, mas perdeu o posto em 2009, quando da construção do primeiro navio da Classe Oasis. O Freedom of the Seas possui 339 metros de comprimento e 56 de largura, pesa 158 mil toneladas e transporta até 4.370 hóspedes, que são servidos pelos 1.360 tripulantes. Ao total, pode levar 5.730 pessoas.
Seus vinte e um pavimentos (pontes) comportam vários bares, restaurantes, um parque aquático, uma quadra esportiva, campo de mini-golfe, parede para escalada, simulador de ondas, um centro comercial, 6 elevadores panorâmicos e cabines que chegam a alojar vinte pessoas.